Mediunidade – O guia definitivo da mediunidade

Tempo de leitura: 13 minutos

O QUE É MEDIUNIDADE ?

A mediunidade é a condição de ser um intermediário entre planos, intermediário vem do latim Médium. Essa é uma capacidade inerente a todos os seres, ela proporciona o contato entre planos, seja entre o plano fisico e astral, como também entre outros.

Mediunidade

Mediunidade não é doutrina

Sem dúvida, a mediunidade ainda causa polemicas no mundo em que vivemos, muitas vezes por desconhecimento, acreditam que a mediunidade está atrelada ao fato de ir “nesse” ou “naquele lugar”. Na realidade, a mediunidade como falei anteriormente, é uma capacidade de todos os seres, não confundam doutrinas e lugares como meio de entender e desenvolver sua mediunidade.

Por hora, não irei entrar em detalhes sobre o desenvolvimento da mediunidade, falarei sobre o tema ao longo desse Guia Definitivo Sobre Mediunidade.

Mediunidade é 24 horas por dia

Muitos se enganam achando que o exercício da mediunidade é somente nas sessões de centro espirita, terreiro de umbanda, entre outros.

Pelo contrário, você exerce a mediunidade 24 horas do seu dia, independente de onde esteja, você sempre estará intermediando as energias e muitos outros fatores ao seu redor.

Esse é um dos clássicos enganos de todo tarefeiro iniciante, pois acham que podem agir como bem entendem fora dos centros e terreiros que frequentam.

Portanto, se estiver dando inicio no exercício de sua mediunidade, saiba que ela exige responsabilidades, mediunidade também não é somente trabalhar em algum lugar, ela envolve muito mais que isso.

GRAUS DE CONSCIÊNCIA NA MEDIUNIDADE

Eu citarei os 3 níveis de consciência dos médiuns, comumente chamamos de:

Médiuns Inconsciente

Médiuns inconscientes são aqueles que a partir da ligação com o espírito comunicante, ficam inconsciente, impossibilitado de registrar o conteúdo da mensagem ou mesmo de qualquer coisa ao seu redor.

Nesses casos, o médium é completamente afastado de seu corpo físico, ficando projetado durante toda comunicação, e o espírito comunicante assume o comando do órgão correspondente ao tipo de mensagem (psicografia – corresponde ao braço e mão; psicofonia – a garganta; ectoplasmia – ao cérebro) que será transmitida.

O conteúdo não passa pela mente do médium.

Médiuns Conscientes

Médiuns Conscientes como o próprio nome diz, são aqueles que permanecem conscientes durante todo o transe mediúnico, conseguem registrar a mensagem e quase tudo o que se passa ao seu redor durante a comunicação,também

participam conscientemente de todo fenômeno, colocando nas mensagens suas características pessoais. Nesse caso, a comunicação se faz mente a mente, sem o afastamento do médium ou o acoplamento áurico.

Médiuns Semi Inconscientes

Esse esta entre as duas que mencionei anteriormente, mediunidade semi inconsciente é aquela em que o médium percebe o que se passa ao redor, mas não consegue registrar completamente todos os detalhes, como também da mensagem que está sendo transmitida.

Neste caso, o médium é afastado parcialmente de seu corpo físico e o comunicante se coloca entre o este e o seu perispírito, ligando-se tanto com a sua mente, como com o órgão correspondente ao tipo de mensagem, então atua duplamente.

TIPOS DE MEDIUNIDADE

Tipos de Mediunidade

Irei abordar os principais tipos de mediunidade, no entanto cabe ao leitor se aprofundar no assunto para conhecer mais sobre a mediunidade.

Psicografia 

É a mediunidade da escrita, geralmente o espirito comunicante, assume o comando do braço e mão do médium, passando sua mensagem.

Psicofonia

 É a mediunidade caracterizada pela comunicação oral do espirito através do médium, o espirito comunicante assume a região da garganta, onde se localiza o chacra larígeo.

Pictografia

Assim como a Psicografia, a Pictografia é o fenômeno da pintura mediúnica, onde o espirito assume o controle do braço e da mão do médium.

 

Capacidades Anímicas x Capacidades Mediúnicas

 As capacidades anímicas são em grande maioria das vezes atribuídas erroneamente como mediunidade, isso se dá pelo fato de algumas vezes serem desenvolvidas com a ajuda de alguns mentores, dando então a impressão de serem mediúnicas, vamos aos exemplos:

  • Clarividência e Clariaudiência – incluindo a precognição, a retrocognição e a visão à distância, que são tipos de clarividência;
  • Telepatia – embora precise de outra mente para acontecer, é anímica, funcionando como uma interação entre receptor e emissor;
  • Psicometria – pode ser considerada um tipo de clarividência, já que se trata de visualização de fatos e cenas, geralmente passados, relacionadas a objetos;
  • Transmissão de energias ( tais como passe espiritual, reiki,entre outros).
  • Desdobramento ou desprendimento astral – mesmo aqueles que ocorrem durante os trabalhos mediúnicos ou que são provocados mediunicamente.

Nesses casos, as capacidades são anímicas, pois é da própria pessoa e poderia se manifestar sem o auxílio de espíritos.

 

ANIMISMO

A palavra ANIMISMO vem do latim ANIMA, que significa alma, animismo é intervenção da própria personalidade do médium nas comunicações dos espíritos desencarnados, quando ele impõe algo de si em mensagens transmitidas por espíritos.

O termo passou a ser usado de forma negativa, em tudo que fosse produzido por um médium, mas que não tivesse uma contribuição ou participação de espíritos.

O animismo passou a ser temido por todos os médiuns, especialmente os iniciantes, por ser usado como um sinônimo de mistificação.

Animismo não é mistificação

A mistificação é completamente diferente do animismo, ela é caracterizada pela fraude consciente do médium e a simulação do fenômeno mediúnico, com intenção de enganar os outros.

Médium mistificador, portanto, é aquele que finge premeditada e conscientemente estar em um transe mediúnico, recebendo comunicação de espíritos desencarnados, quando, na realidade, está apenas inventando mensagens para impressionar ou agradar pessoas que recebem o conteúdo.

A atuação anímica do médium, acontece de forma quase sempre inconsciente, de modo que o médium dificilmente consegue perceber a sua própria interferência ou participação no fenômeno que manifesta, não conseguindo separar o que realmente é seu do que é de um espirito comunicante, mesmo quando o fenômeno, é consciente.

Animismo é natural á todos os médiuns

Ainda muito questionado e polêmico, o animismo jamais foi um defeito mediúnico, ele é um processo natural da mediunidade, pois não existe uma mensagem sem interferência animica, até por que é necessário usar as capacidades anímicas do médium para poder repassar o conteúdo do espirito comunicante.

O cuidado para se tornar um bom médium, é justamente ter o minimo de interferência possível nas comunicações, traduzindo em palavras adequadas, os pensamentos que estão sendo transmitidos pelo espirito comunicante.

MECANISMOS DA MEDIUNIDADE

Acoplamento Áurico

Acoplamento Áurico

 O acoplamento áurico é a completa interação entre médium e comunicante, casais, entre outros.

Esse mecanismo acontece por meio de suas auras. A entidade se aproxima do médium e o “abraça” com a sua aura.

Estabelecida a sintonia, a aura do médium se junta à da entidade, formando um único campo energético, por onde são transmitidas as ondas mentais e as energias entre ambos.

Quanto maior a sintonia, mais estável será este campo e, portanto, mais eficiente o acoplamento, permitindo maior fluidez nas comunicações.

 

Médiuns de Sustentação

Médiuns de SustentaçãoOs médiuns de sustentação, são todos aqueles médiuns que compõem a corrente, mas não têm mediunidade ostensiva, ou seja, não dão comunicações diretas, nem apresentam qualquer fenômeno mediúnico evidente.

Em grande maioria, são pessoas dotadas de alta capacidade de concentração, bons doadores de energias, com muita facilidade de visualização e projeção de fluidos e formas.

São peças essenciais em grupos mediúnicos, por suas peculiares características mentais e energéticas que interferem positivamente no equilíbrio das energias do grupo.

Eles conseguem elevar o padrão vibratório da corrente ou de sustentar o médium durante alguma manifestação, sem se desequilibrar.

São também médiuns referências, pois costumam captar com facilidade as alterações vibratórias no ambiente e, como não costumam estar mediunizados, podem contribuir muito, observando o andamento do trabalho e prevenindo qualquer perturbação que necessite de mais atenção, ou até mesmo ajudando algum médium que não esteja se sentindo bem.

CABIDES MEDIÚNICOS

Mediúnico

É muito comum diversos médiuns, nos dias que antecedem ou no dia do trabalho mediúnico, se sentirem diferentes, incomodados, e, após a reunião, voltarem ao normal, sem conseguirem atribuir uma razão lógica para esse mal-estar.

Isso acontece por causa de um mecanismo chamado de cabide mediúnico, que é a transferência de uma ou mais entidades desencarnadas da aura de outras pessoas ou de um ambiente para a aura de um ou vários médiuns.

Geralmente, os mentores ou amparadores utilizam esse mecanismo para dar assistência a entidades muito desequilibradas, de forma que possam ser ajudadas pelo médium, pelo contato com a sua energia e os seus pensamentos, ou seja, são levadas ao grupo mediúnico do qual o médium faz parte, no dia da reunião.

Quando são levadas para a reunião, parecem estar “penduradas” nos médiuns, as entidades podem se manifestar por meio desses mesmos médiuns, se eles tiverem a faculdade de psicofonia, ou podem ser retiradas de sua aura e transferidas para outros médiuns.

Podem também serem atendidas no astral pelos dirigentes espirituais encarregados do trabalho, sem manifestação direta no físico, aproveitando apenas o ambiente fluídico e vibratório da reunião.

Esse mecanismo de “conexão” com entidades pode acontecer tanto no dia da reunião, como os dias antes dela, tudo depende da disponibilidade e capacidade do médium, como da assistência a ser dada.

Os médiuns que estiverem sendo usados por esse mecanismo poderão sentir diversos sintomas desagradáveis, como:

  • Sensação de estar aéreo
  • Sensação de pressão e peso pelo corpo
  • Cansaço exagerado e mal estar
  • Tremores e arrepios
  • Percepção de odores desagradáveis
  • Dores pelo corpo

Aparelhos Extrafísicos

extrafísicoSão aparelhos produzidos pela manipulaçao e condensação de fluidos astrais, que são aplicados, conectados ou ligados remotamente a chacras ou órgãos físicos, provocando algumas alterações temporárias nas pessoas e médiuns, ou dando-lhes alguma proteção energética ou vibracional.

Embora o conceito seja mais conhecido por seu efeito prejudicial nas aplicação por obsessores, os aparelhos extrafísicos podem ser usados por mentores ou amparadores para aumentar, diminuir, bloquear ou modificar capacidades psíquicas e energéticas de médiuns, podem também ser para monitorá-los ou inspirá-los à distância.

Esses aparelhos podem provocar alterações psíquicas, interferindo na consciência e na lucidez dos médiuns, bem como alterações de percepção, consequentemente despertando clarividência, clariaudiência e outros fenômenos anímicos.

Mediunidade e Fatores Terrenos

Alimentação

Os alimentos claramente interferem na qualidade das energias de nosso duplo e em nossa aura, afetando assim, todo nossos corpos.

Sendo a mediunidade uma hipersensibilização energética provocada em nosso perispírito, antes de encarnarmos, e sendo esta hipersensibilização transferida para o nosso corpo no momento do reencarne, é natural que o organismo do médium seja mais sensível às energias dos alimentos do que a média de outras pessoas.

Dependendo da alimentação do médium, poderá afetar diretamente no grau de sensibilidade, dificultando a sua percepção e sintonia com as entidades extrafísicas, em especial aquelas mais elevadas, cujo padrão vibratório é mais intenso.

É por isso que os médiuns devem ter bastante atenção à sua alimentação, evitando tudo que exija muito esforço do organismo para digerir e também aquilo que, com o tempo, percebe-se que não faz bem ou prejudica seu trabalho mediúnico, diminuindo sua sensibilidade mediúnica e energética.

Os alimentos que se possível devem evitar com 12h ou 24h de antecedência dos trabalhos mediúnicos, são todos aqueles que possuem características mais densas ou estimulantes, alguns desses são:

  • Café
  • Carne Vermelha
  • Chocolate
  • Grãos ( amendoim, amendoas, etc)
  • Energéticos
  • Álcool

Medicamentos

Os anestésicos, calmantes, excitantes, ansiolíticos, antidepressivos, entre outros. São substâncias agem sobre o sistema nervoso e interferem não só nas energias físicas e espirituais, como também na consciência e na lucidez, assim eles afetam a capacidade de concentração e a atenção do médium.

No entanto, o médium que esteja em tratamento com alguma dessas substâncias não tem a necessidade de ser afastado dos trabalhos, até para que esse afastamento não venha complicar ainda mais as condições que o levaram a precisar desses medicamentos.

Sexo

O sexo feito com amor e prazer, com alguém que gostamos, por quem se tem respeito e afinidade e com quem se tem uma relação estável , é extremamente benéfico e ajuda no equilíbrio psíquico e energético.

No entanto, se feito em demasia, poderá desgastar a pessoa físicamente, mental e energeticamente, por esforço de todo o complexo energético envolvido.

Se praticado menos do que o necessário, seja lá qual for a razão, também poderá sobrecarregar o médium, pelo acúmulo de energias primevas e ativas no corpo físico e no complexo espiritual, podendo assim gerar bloqueios e desequilíbrios.

No ato sexual, as duas pessoas envolvidas entram em uma profunda ligação energética, ocorre o acoplamento áurico, e assim trocam, não só os fluidos corporais, como também fluidos espirituais, que são indispensáveis para o bem estar do ser humano.

O médium assim como todos estudante espirituais, devem aprender a encarar sua sexualidade com naturalidade e equilíbrio, dosando sua necessidade de sexo e buscando praticá-lo de forma equilibrada, eliminando quaisquer tipos de preconceitos e tabus que não contribuem em nada.

 

 

Mediunidade – O guia definitivo da mediunidade
5 (100%) 8 votes

Comentários

Comentários